Reajuste: Alexandre acusa Sindsmor de divulgar “fake news” e reafirma apoio aos servidores

AlexandrePinheiro 14.03.2022 01Alexandre Pinheiro destacou que, em conversa com professores e profissionais da saúde, eles afirmam que “nunca foram representados”O vereador Alexandre Pinheiro (PTB), presidente da Câmara, fez críticas ao Sindsmor (sindicato dos servidores públicos municipais), na sessão ordinária desta segunda-feira (14). O parlamentar afirmou que o sindicato tem divulgado uma “fala infelizmente mentirosa” a seu respeito, dando conta de que ele “não representa a categoria e os servidores públicos”. A divergência de informações se deu no contexto da campanha pelo reajuste salarial deste ano. 

“Eu acho que quem não representa os servidores públicos são eles [do sindicato]. Porque onde eles estavam, em todos esses anos? Quando a antiga administração deu 3% de reajuste, [parcelado] em seis vezes, onde eles estavam escondidos?”, questionou Alexandre, em seu pronunciamento no Plenário. “Quem não representa o servidor público não é o vereador Alexandre Pinheiro, e sim o sindicato, que estava escondido todo esse tempo”, concluiu.

O parlamentar ainda parabenizou os servidores que se uniram, como a classe dos professores, para pedir o reajuste salarial. E explicou que sempre defendeu a realização de “estudo” para que o Poder Executivo “desse o maior aumento possível, dentro daquilo que ele pudesse dar”. “E a princípio foi levantado o valor de 10,06%”, disse, ao ressaltar que todos os vereadores defendem um reajuste similar ao concedido pela Câmara aos seus servidores, de 18,88%.

“Porém, a receita de lá [da prefeitura] não é igual à da Câmara”, disse Alexandre, ressaltando que o reajuste dado aos funcionários do Poder Legislativo comprova que ele é a favor dos servidores. O parlamentar ainda afirmou que, em conversa com professores e profissionais da saúde, eles afirmam que “nunca foram representados”. “Falam que nunca existiu um sindicato”, afirmou, defendendo que o órgão tivesse tido “ações efetivas desde o passado”. 

Na sessão, o presidente da Câmara também explicou que o Projeto de Lei 2/2022, da Mesa Diretora, aprovado em janeiro deste ano, garantiu o reajuste de 18,88% exclusivamente para os funcionários e servidores do Poder Legislativo (percentual que se refere à reposição das perdas inflacionárias dos anos de 2019, 2020 e 2021). Já os vereadores tiveram os subsídios reajustados em 10,06%, “correspondente ao índice do IPCA-IBGE acumulado de 2021”.