Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > > Covid19 > > Vanderlei Soares comenta eleições, cobra prefeitura por obras atrasadas e defende “direitos adquiridos” dos servidores
Início do conteúdo da página

Vanderlei Soares comenta eleições, cobra prefeitura por obras atrasadas e defende “direitos adquiridos” dos servidores

VanderleiSoares 16.11.2020Vanderlei cobrou da prefeitura o pagamento de licenças-prêmio e de quinquênio aos servidores18/11/2020 - O vereador Vanderlei Soares (MDB) fez discurso no Plenário da Câmara, na sessão ordinária desta segunda-feira (16). No pronunciamento, disponível na íntegra neste link, o parlamentar comentou a eleição do último domingo (15), na qual foi candidato a prefeito. 

“Para mim é uma honra poder participar desse pleito”, comentou o vereador. Ele também parabenizou o prefeito eleito Edivaldo Brischi (PTB), desejando que o mesmo tenha discernimento para poder “conduzir da melhor forma possível o município”.

Vanderlei ainda parabenizou os 15 vereadores eleitos para a próxima legislatura, que tomarão posse em 1º de janeiro de 2021. “Isso para nós é muito satisfatório, faz parte da democracia”, comentou, sobre o processo eleitoral.

OBRAS ATRASADAS

O vereador também comentou que até 31 de dezembro continuará desempenhando suas funções na Câmara. E cobrou do prefeito a conclusão de obras paralisadas - algumas delas contando com emendas parlamentares obtidas por intermédio do seu gabinete.

Citou a manutenção do estádio municipal; a construção da praça do Jardim Nova Alvorada; a segunda etapa da pavimentação asfáltica do Quinhões do Boa Esperança; e a reforma do Ginásio Baia Assis. E pediu ao prefeito que conclua tais benfeitorias dentro do mandato. 

Vanderlei Soares também cobrou o término das obras da Escola do Quinhões, da creche do Parque Residencial São Clemente, do posto de saúde do Jardim São Domingos, da segunda etapa da pavimentação asfáltica do Jardim Colina e da praça pública do Jardim do Engenho.

DIREITOS ADQUIRIDOS

Vanderlei cobrou da prefeitura o pagamento de licenças-prêmio e de quinquênio dos servidores públicos. Além disso, manifestou preocupação com a situação do convênio médico e do cartão alimentação - que, segundo ele, apresenta entraves no processo licitatório. “O servidor público não pode ficar sem convênio, nem sem cartão alimentação. É um direito adquirido”, afirmou, destacando que o prefeito deveria ter deixado que tal licitação fosse realizada na próxima gestão do Executivo, sem pressa, mantendo os benefícios. Pediu, ainda, que além dos vereadores, o Sindicato dos Servidores e a Secretaria Municipal de Saúde acompanhem de perto esse processo.

Fim do conteúdo da página