Dirigentes da rede estadual pedem reunião com o prefeito para solucionar merenda, diz Paranhos

Paranhos 27.06.2022 02Segundo Paranhos, “escola precisa soltar os alunos com 15 minutos de diferença, para que eles não assistam outros comendo uma merenda melhor”O vereador Paranhos (MDB) afirma que dirigentes de escolas estaduais não têm obtido sucesso na tentativa de agendar uma reunião com o prefeito Edivaldo Brischi (PTB), visando defender a necessidade de formalização de um convênio. O objetivo é garantir melhorias na merenda das escolas estaduais, que é de qualidade inferior à oferecida aos alunos da rede municipal de ensino. “Segundo eles [diretores], o prefeito os ignora, não os escutam, evita falar com eles”, relatou o parlamentar, na sessão ordinária da última segunda-feira (27).

“Vejam, senhores: a escola precisa soltar os alunos com 15 minutos de diferença, para que eles não assistam outros comendo uma merenda melhor. Parece brincadeira, né, mas é verdade”, relatou Paranhos. Segundo o vereador, o pedido de diálogo com o Executivo foi apresentado por diretores de escolas estaduais, durante reunião com vereadores, na Câmara, na quarta-feira (22). O encontro foi agendado pelo dirigente da Regional de Capivari, Edivilson Cardoso. “Eles vieram aqui nos pedir ajuda, para que o prefeito os receba”, disse. 

Ainda de acordo com Paranhos, a merenda fornecida para os estudantes das escolas do município é “de melhor qualidade” que aquela ofertada aos alunos do Estado, devido à falta desse convênio. Trata-se, segundo ele, de uma “herança de tantos anos de [governo do] PSDB”, no Estado. Conforme postagem da Escola Coronel Laurindo Gomes Carneiro, “há alguns anos” a prefeitura “encerrou o convênio com o Estado para fornecer merenda para as escolas estaduais, o que gerou a terceirização do serviço e a diferença na merenda ofertada”. 

“Nossa escola passou a ter uma cozinha com equipes distintas para preparação da merenda, dividindo o mesmo espaço e ofertando cardápios diferenciados aos estudantes que partilham do mesmo prédio”, diz a nota da escola, citando “movimento [promovido pela comunidade escolar] para que o nosso Excelentíssimo Prefeito assine o Convênio do Estado com a Prefeitura, garantindo a indispensável equidade entre os estudantes da cidade”. Paranhos pede que o prefeito “sente[-se] com eles e explique por que não quer assinar esse convênio”.