Aprovados Projetos de Lei que dão nome a ruas dos bairros Central Park e Jardim Vila Rica

WaldaFarmácia 16.05.2022 02A vereadora Wal da Farmácia, autora dos dois Projetos de LeiNa sessão ordinária desta segunda-feira (16), o Plenário da Câmara aprovou, por unanimidade, outros dois Projetos de Lei (UNIÃO) que dão nome a vias públicas do município. As proposituras, de iniciativa da vereadora Wal da Farmácia (PSL), foram votadas em bloco.

O PL 60/2022 dá o nome do senhor Alberto Tameiros à Rua Cinco do bairro Jardim Central Park Monte Mor II. Montemorense, conhecido como Bertinho, ele nasceu em novembro de 1958 e morreu em julho de 2012, esclarece a autora, na Justificativa da propositura.

Já o PL 70/2022 presta homenagem ao senhor Antônio Rodrigues Coutinho, natural de Jacaraci-BA. Segundo o texto da Justificativa do Projeto, ele nasceu em dezembro de 1920, chegou em Monte Mor em 1973, e faleceu em março de 1989 - ou seja, aos 68 anos.

“Essa é uma homenagem minha ao senhor Alberto Tameiros [...], por toda a sua história na nossa cidade, e também ao Antônio Rodrigues Coutinho [...], também por toda a sua história em nosso município”, disse Wal da Farmácia, no Plenário da Câmara, antes das votações.

BIOGRAFIAS

Geral 16.05.2022 1Plenário da Câmara, durante a sessão ordinária de 16 de maioSegundo a biografia de Alberto Tameiros, incluída na Justificativa do Projeto, ele “nasceu e cresceu no centro da cidade, vivendo toda sua vida na casa que seus pais construíram, na Rua Orozimbo de Carvalho”. “Em 1982, aos 23 anos, começou a trabalhar na Sabesp, onde ficou por toda sua vida”, diz a autora, Wal da Farmácia, noutro trecho do documento. “Bertinho era um homem justo, honesto e íntegro. Sempre ajudava pessoas que precisavam, com roupas, calçados, cestas básicas”, complementa o texto. Ao falecer, há cerca de dez anos, ele deixou “esposa, filhos, um neto e muitos amigos”, conclui a Justificativa da homenagem. 

A biografia de Antônio Coutinho destaca que, quando chegou em Monte Mor, em 1973, ele trabalhou na Fazenda Margarida, “onde também morava”. Posteriormente, o homenageado mudou-se para a cidade, “alugando uma casa na Rua Visconde do Rio Branco”. Na sequência, após atuar na lavoura de tomates, “conseguiu comprar um terreno e construir sua casa no Jardim Campos Dourados”, diz o texto. “Um baiano, que chegou a São Paulo trazendo consigo sonhos e, na cidade de Monte Mor, construiu sua vida e sua família, criando seus filhos com muita honestidade”, diz a autora, no texto da propositura aprovada.