Camilla destaca Projeto de sua autoria que reconhecia atividade religiosa como essencial

CamillaHellen 02.05.2022 02“É essencial, sim, a atividade religiosa, por toda a parte assistencial, por toda a parte psicológica e emocional”, disse Camilla HellenNa sessão ordinária da última segunda-feira (2), a vereadora Camilla Hellen (Republicanos) destacou a importância do Projeto de Lei (PL) 152/2021, de sua autoria, que pretendia reconhecer “a atividade religiosa como essencial para a população do município de Monte Mor, em tempos de crises ocasionadas por moléstias contagiosas, epidemias, pandemias ou catástrofes naturais”. A propositura foi rejeitada pelo Plenário, naquela data, por oito votos contrários, cinco favoráveis e uma abstenção.

No pronunciamento, realizado antes da votação, Camilla explicou que a propositura estava sendo colocada em pauta, na data, por ter excedido o prazo de tramitação. “O Parecer Jurídico não veio a tempo, e por conta disso foi estourado o prazo”, disse. A parlamentar também pediu a “sensibilidade” dos demais vereadores, para aprovar o PL, “visando o melhor para o povo, sem discriminação”. “Porque, aqui, nós não estamos defendendo nenhuma placa de igreja, nenhuma placa de tempo, nenhuma denominação”, afirmou.

A parlamentar citou decreto do Presidente da República, Jair Bolsonaro, que estabelece que as atividades religiosas são consideradas essenciais. “A Alesp [também] abriu precedente para que nós possamos colocar Projetos como esse na Casa”, completou, sobre a aprovação de iniciativa semelhante, pela Assembleia Legislativa. Camilla agradeceu aos religiosos presentes, e disse ter a convicção de que a sociedade vai continuar se servindo “desse axé do pessoal da umbanda, e dessa paz que os pastores e padres exercem sobre o nosso povo”.

“É essencial, sim, a atividade religiosa, por toda a parte assistencial, por toda a parte psicológica e emocional que os templos religiosos têm atuado e orientado as pessoas nesses tempos difíceis, como foram esses tempos que nós passamos, na pandemia do Covid-19”, disse a vereadora. Na religiosidade a gente encontra esperança, […] a fé, a confiança para continuar seguindo e lutando e vencendo todos os problemas e todas as adversidades”, completou Camilla, sobre a importância do Projeto rejeitado (assista ao discurso neste link).