Questionado por vereadores, secretário reconhece “problemas operacionais na garagem”

Geral 25.04.2022 secretáriobueno 01“Tivemos alguns problemas operacionais na garagem? Óbvio que tivemos. Só que sindicâncias estão sendo instauradas”, disse o secretário Antônio BuenoDurou cerca de duas horas o trecho da sessão ordinária desta segunda-feira (25) no qual o secretário municipal Antônio Bueno de Oliveira Neto, conhecido como Coronel Bueno, prestou esclarecimentos aos vereadores. O titular da pasta de Administração, Trânsito e Mobilidade Urbana, havia sido convocado a partir do Requerimento 11/2022, aprovado na semana passada. A propositura é de iniciativa dos vereadores Altran (MDB), Beto Carvalho (DEM), Bruno Leite (DEM), Nelson Almeida (Solidariedade), Paranhos (MDB) - primeiro autor do documento, Professor Fio (PTB), Vitor Gabriel (PSDB) e Wal da Farmácia (PSL).

Bueno usou os 40 minutos iniciais da fala para abordar aspectos técnicos da secretaria, como a previsão de abertura de concurso para contratar servidores; a futura inauguração de unidade do PAT, Sebrae e Banco do Povo no antigo prédio da prefeitura, na praça da Igreja Matriz; e as interlocuções realizadas com o Estado visando implantar uma unidade do Bombeiro Militar no município, o que poderia inclusive atrair empresas, já que tal fato reduziria o preço de seguro pago pelas mesmas, segundo ele. Questionado por vereadores, durante a sessão, o titular da pasta abordou outros assuntos - incluindo problemas na garagem e almoxarifado da prefeitura.

“Tivemos alguns problemas operacionais na garagem? Óbvio que tivemos. Só que sindicâncias estão sendo instauradas. Inclusive, adiantando para os senhores, a respeito do bendito do gerador, já tem BO [Boletim de Ocorrência]. O gerador que se extraviou, eu não posso afirmar que foi furtado [ou] não, porque eu não tenho provas. Foi feito BO, perícia já foi feita”, anunciou o secretário, sobre um dos questionamentos citados no Requerimento da Câmara. “Eu sei que uma comissão dos senhores esteve lá, e prejudicou o local de crime”, disse, sobre visita feita por vereadores à garagem, que havia sido citada no Requerimento. 

“Quando eu estive no castramóvel […] em momento algum eu obstruí nenhuma cena de crime. Muito pelo contrário. Quando eu estava ali, eu nem sabia que tinha crime, senhor secretário”, esclareceu Bruno Leite, durante fala na sessão. Paranhos também abordou o tema, e criticou o uso do termo “local de crime”, pelo secretário. Disse, ainda, que a convocação ocorreu, exatamente, porque, em visita à garagem, não obteve respostas do diretor da unidade sobre o assunto, tendo tido a impressão de que o local era uma “terra de ninguém, onde ninguém sabe o que entra, e ninguém sabe o que sai” (leia mais logo abaixo). 

AVISO

Geral 25.04.2022 secretáriobueno 02Plenário, durante a sessão ordinária da CâmaraO secretário também relatou que não foi avisado rapidamente sobre o suposto extravio do bem público. “Se houve um fato no final de semana, eu, oficialmente, só fui tomar certeza [ciência] do fato na terça-feira de manhã, quando estava lá, 6h30 da manhã, na garagem”, afirmou. Ele ainda explicou que sindicância administrativa “já foi instaurada”, para apurar os fatos, assim como “o inquérito já foi instaurado”. Sobre a sindicância, disse não ser possível prever prazo para conclusão, dadas as imprevisibilidades, já que o número de oitivas e diligências pode variar. Sobre o inquérito, esclareceu que fica a cargo da Polícia Civil. 

“Tudo que acontece na garagem, hoje, nós temos ciência”, afirmou, com veemência, Coronel Bueno. Ele ponderou, entretanto, que não recebeu denúncias sobre atividades da garagem e do almoxarifado do município através de canais oficiais da prefeitura, como a Ouvidoria. O tema era alvo da primeira pergunta do Requerimento aprovado pelo Plenário da Câmara. “Pelo canal oficial, não [recebi denúncia]. Mas como gestor detectei alguns problemas, levei ao prefeito e à Comissão Ética nossa, através do departamento jurídico. Algumas providências foram tomadas e estão sendo tomadas, não só pelo reaparelhamento”, relatou.

Os vereadores autores do Requerimento e o secretário municipal de Administração, Antônio Bueno, convocado para prestar esclarecimentos. (Foto Wal da Farmácia: Arquivo 11/04/2022)

“MANCO”

Geral 25.04.2022 secretáriobueno 03Os vereadores e o secretário Antônio BuenoA segunda consideração do Requerimento abordava “denúncias relacionadas às empresas que prestam serviços de mecânica e manutenção”. Paranhos, primeiro autor da propositura, questionou se existe terceirizada para tais atividades, já que servidores concursados, que têm esse ofício,  alegam não poder fazer tais serviços, por haver “terceiros que ganham para fazer”. O secretário informou que existe “oficina mecânica que venceu uma licitação”, mas que a mesma realiza consertos “muito mais acentuados, os quais os nossos mecânicos não têm condições de fazer ali”, como o conserto de “motor fundido”, “sistema de molas”, etc.

Ainda com relação às empresas contratadas para prestar serviços à prefeitura, o secretário de Administração criticou o contrato de locação de veículos (noutro momento da fala, inclusive, ele havia dito que sua pasta vem fazendo revisão de contratos, visando “auditar” o que está sendo feito).  “Esse contrato, hoje, que está em uso na prefeitura, do aluguel das viaturas, é manco [imperfeito, com falhas]”, relatou, destacando que estuda uma forma jurídica de revisão ou quebra do contrato, para correção.  Bueno também citou que sua pasta está preocupada em “adequar a frota”, e que inclusive receberá novos maquinários do Estado. 

Paranhos também lembrou que a convocação do secretário se deu, inclusive, devido à denúncia de que servidores teriam “atividades extras, na garagem”, gerando inconformismo por parte de outros servidores. O Requerimento menciona que “existem servidores que recebem sem trabalhar, pois em horário de serviço exercem serviços particulares”. O secretário disse que está “podando [cortando, extinguindo] possíveis irregularidades na tabulação de horas-extras” e que também havia determinado ao gestor anterior da garagem que fiscalizasse as rotinas de trabalho dos servidores (como registros de entrada e saída, etc).

“É preciso que haja ordenamento. E, para isso, nós estamos vencendo um paradigma na garagem. Não estou chamando ninguém de desonesto, longe disso. Mas são coisas que o sistema provoca zona de conforto”, disse Bueno. O primeiro autor do Requerimento, vereador Paranhos, disse considerar que a manifestação do secretário, nos minutos iniciais da sua manifestação, trouxe um “olhar teórico” sobre a realidade. Ponderou, entretanto, que tem expectativa de que o titular da pasta, “militar de origem, tome as providências em tudo que o secretário perceber de irregularidade. Porque isso faz parte do nosso DNA”. 

(*Notícia atualizada em 02/05/2022, às 14h07, para correção no segundo parágrafo: PAT, Sebrae e Banco do Povo é que serão instalados no antigo prédio da prefeitura, na praça da Matriz; e não o Poupatempo, como constava anteriormente).