Wal cita falta de remédios e médicos: “secretário está aí há meses, e nada se resolveu”

WalDaFarmácia 29.11.2021 DiscursoNa sessão plenária, Wal da Farmácia ainda citou que vem exercendo a sua função de fiscalizar o Poder ExecutivoA vereadora Wal da Farmácia (PSL) comentou os problemas na área da saúde, na sessão ordinária da última segunda-feira (29). “O secretário [José Gonçalves de Camargo] está aí há meses, e nada se resolveu [...] Não temos médicos em postos, não temos medicamentos”, reclamou a parlamentar, pedindo uma solução urgente para os problemas, alvo de reclamações constantes dos moradores.

“Secretário, já deu [tempo suficiente] para sanar essas divergências e [garantir] médicos, por exemplo”, disse Wal, no pronunciamento, ressaltando que a saúde “não pode esperar”. “Precisamos, novamente, do nosso patrimônio de remédios aqui na nossa cidade, e não em Guarulhos”, relatou, referindo-se à estratégia da prefeitura, de armazenar os medicamentos em empresa terceirizada.

Na sessão plenária, a vereadora ainda citou que vem exercendo a sua função de fiscalizar o Poder Executivo. E ressaltou que “já chegou nos cofres públicos” do município a emenda parlamentar de R$150 mil, enviada a seu pedido pelo deputado federal Bozzella (PSL), conhecido como Junior Bozzella, para a saúde. Ela disse que pretende questionar a prefeitura sobre a utilização desse recurso.

EMENDAS

Wal ainda comentou a Emenda Modificativa 14/2021 e a Aditiva 4/2021, de sua autoria, que reduzem, de 20% para 10%, o limite no Orçamento Municipal para abertura de créditos adicionais suplementares, por decreto, pela prefeitura. “Isso é mais uma [maneira de ampliar as possibilidades de] fiscalização nossa, que devemos ter”, relatou. Aprovadas na sessão, as emendas estabelecem que, após esse percentual, reajustes no orçamento deverão passar pela apreciação dos parlamentares.

“Nós somos o órgão fiscalizador”, comentou Wal, citando outra propositura de sua autoria. No Requerimento 30/2021, ela pede informações à prefeitura sobre o “empenho referente à empresa Arcon Engenharia e Serviços Eireli”. Segundo a parlamentar, trata-se de duas licitações: uma de R$1,35 milhão, “que é das flores”, e outro empenho de aproximadamente R$2 milhões. O pedido de esclarecimentos foi aprovado por 11 votos favoráveis e três contrários, pelo Plenário (leia mais).