Vereadores parabenizam o trabalho da Etec e pedem agilidade na construção da nova sede da escola

AlexandrePinheiro 12.07.2021 Moções3O vereador Alexandre Pinheiro, presidente da Câmara, é autor das duas Moções que tratam da Escola Técnica EstadualDuas Moções relacionadas à Escola Técnica Estadual (Etec) de Monte Mor, de iniciativa do vereador Alexandre Pinheiro (PTB), presidente da Câmara, foram aprovadas por unanimidade na sessão ordinária desta segunda-feira (12). A Moção 32/2021 aplaude a instituição de ensino pelo “excelente trabalho” desenvolvido no município. Já a Moção 33/2021 faz apelo ao governador do Estado, João Dória (PSDB), visando à agilidade no processo de construção da nova sede da escola na cidade.

Na Moção 32, Alexandre ressalta que a Etec “é uma instituição de ensino que tem por característica o fomento da ciência e da tecnologia, através do incentivo aos seus alunos no processo de pesquisa e no desenvolvimento de projetos inovadores e empreendedores”. O parlamentar também ressalta que a escola “ocupa posição de destaque em eventos técnico-científicos”, e dispõe de uma equipe multidisciplinar, contando “com professores e funcionários dedicados”. 

A necessidade de ampliação da unidade de ensino - “que vem formando e capacitando alunos desde 2009 em nosso município” - é salientada, pelo autor, na Moção 33. Segundo o texto, o espaço ocupado atualmente “não é adequado para a progressão das atividades exercidas, pois, além de o prédio ser locado, não havendo possibilidade de ampliação, há problemas em relação ao curso do córrego que passa ao lado”. O texto também cita a incidência de mosquitos e até de animais peçonhentos no local. 

“Ressalto a importância de construção da nova sede da Etec [...], para que os alunos da nossa cidade tenham mais qualidade no ensino, para que aumente a grade curricular a fim de atender ao mercado de trabalho competitivo e exigente, para que nossos alunos continuem se destacando profissionalmente”, diz o texto. A Moção destaca que um terreno da prefeitura já foi doado, em 2014, para a implantação da nova sede, e que já foram realizadas inúmeras promessas de construção, por autoridades. 

Antes da apreciação das proposituras, Alexandre citou as dificuldades enfrentadas pela Etec, e parabenizou a equipe. Além disso, defendeu o empenho das autoridades para que o prédio próprio seja construído com brevidade, já que, recentemente, foi anunciada a liberação de recurso de R$15 milhões, pelo Estado. “Todo suporte, laboratório, salas de aula: é imprescindível na educação”, salientou, anunciando, ainda, a futura parceria da Etec com a Escola do Legislativo, para o Parlamento Jovem.  

IMPORTANTE INICIATIVA

Geral 12.07.2021 LegPlaca indicativa do Poder Legislativo, no Plenário da Câmara: as duas proposituras foram aprovadas por unanimidadeOutros vereadores comentaram as proposituras. Beto Carvalho (DEM) parabenizou as iniciativas, e citou os problemas da atual estrutura da Etec, que sequer conta com climatização. Afirmou, ainda, que apesar do anúncio da liberação do recurso e da previsão de conclusão da obra para 2022, é relevante haver tal cobrança ao Estado, já que a promessa é antiga. “Que essa nova Etec seja logo construída [...] Faz-se necessário um prédio novo, uma estrutura nova, onde esses estudantes tenham suporte para ter um ensino de mais qualidade ainda do que já é aplicado”, afirmou Bruno Leite (DEM), criticando o governador do Estado, responsável pela construção do novo prédio da instituição de ensino. Professor Adriel (PT) também parabenizou o autor das Moções, e disse que a homenagem à equipe da Etec é “muito bem vinda”, dada a seriedade do trabalho desenvolvido na cidade. 

Paranhos (MDB) lembrou que a promessa de construção do prédio é antiga. Ressaltou que “a Moção ainda tem objeto”, nesse sentido, e citou a descrença dos moradores, devido à demora. Além disso, defendeu penalidade para o descumprimento de promessas de campanha. Andrea Garcia (PTB) disse que participou de várias reuniões e ouviu diversas promessas:  “não é de hoje que a gente luta por isso”. Professor Fio (PTB) ressaltou que o andamento das obras também possui relação com o trabalho dos secretários municipais, na intermediação dos pleitos. “Depende do governo, depende da liberação, mas depende da transparência na hora de fazer as obras públicas”, disse. “Se nós tivéssemos uma Casa que fiscalizasse o Poder Executivo e cobrasse, como nós temos cobrado nesta Legislatura, muita coisa talvez saísse do papel e estivesse mais adiantado”, ressaltou Camilla Hellen (Republicanos).