Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > > Comunicação > > Notas Oficiais > > Em discurso, Zé Fernandes reivindica a retomada de obras paralisadas, dentre elas a creche do Quinhões e o prédio da UPA
Início do conteúdo da página

Em discurso, Zé Fernandes reivindica a retomada de obras paralisadas, dentre elas a creche do Quinhões e o prédio da UPA

ZéFernandes 04.02.2019 3No discurso, Zé Fernandes também abordou a repercussão do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho08/02/2019 - Na última segunda-feira (4), em discurso no plenário, o vereador Zé Fernandes (PSDB) cobrou do Poder Executivo a retomada de algumas obras atualmente paralisadas. O parlamentar citou a creche do Quinhões e o prédio da UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

Sobre a UPA, Zé Fernandes lembrou que a unidade irá atender diversos moradores da região do Jardim Paulista. E cobrou uma resposta do secretariado da prefeitura, sobre o atraso. “Votamos um valor de R$800 mil para terminar [a obra]. Foi licitado, e ainda não começou”, afirmou.

No Parque do Café, o vereador também disse que fez cobranças à Sabesp, visando a conclusão das obras de instalação de tubulações de águas pluviais. E ressaltou que o serviço está sendo feito. “Estaremos sempre de olho, para a obra não parar”, concluiu.

APARTES

Em comentário ao discurso, Vanderlei Soares (MDB) sugeriu que a Câmara agende uma reunião com o prefeito e secretários, para ter acesso ao cronograma de obras. Waltinho Assis (PDT), presidente do Legislativo, disse que o vereador Jesus Lopes já está agendando tal encontro. Jesus ressaltou que a data será marcada em breve, com o fim do recesso parlamentar. Já Eduardo Bispo (PSDB) sugeriu que esse cronograma - com o andamento das obras e previsões de término - seja fornecido por escrito pelo Poder Executivo, na reunião.

BRUMADINHO

A repercussão nacional e internacional do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, também foi abordada por Zé Fernandes. O parlamentar lamentou o ocorrido, e manifestou solidariedade aos familiares das vítimas. “É um caso muito sério”, afirmou. “Disseram, nas redes sociais, que o [presidente da República, Jair] Bolsonaro é culpado. Eu não acho o Bolsonaro culpado [...] Eu acredito que ele fará um bom mandato, e uma fiscalização”, afirmou.

Fim do conteúdo da página